TECNOLOGIA SSD: CONHEÇA O FUTURO SUBSTITUTO DO HD

Olá caro leitor tudo bem com você?

Você já ouviu falar da tecnologia SSD? Sabia que ela não é tão nova quanto parece?

Pois bem… Esse componente tem se tornado tão cobiçado pelo público tecnológico devido a uma série de vantagens que apresenta! Se você quer conhecer as vantagens leia um pouco mais abaixo pois mostrarei detalhadamente cada uma delas. Mas antes entenda um pouco sobre a história do SSD.

Mas afinal o que é SSD?

A sigla SSD – solid-state drive ou unidade de estado sólido é um tipo de dispositivo, sem partes móveis, para armazenamento não volátil de dados digitais. São, tipicamente, construídos em torno de um circuito integrado semicondutor, responsável pelo armazenamento, o que difere dos demais tipos de soluções de armazenamentos.

É importante que você lembre da seguinte informação: Esse tipo de dispositivo utiliza Memória Flash NAND (tecnologia semelhante as utilizadas em cartões de memória e pendrives).

A maioria dos fabricantes utilizam SSD de memória flash não-volátil para criar dispositivos mais robustos e compactos para o mercado consumidor. Estes SSDs baseados em memória flash, também conhecida como flash drives.

Eles são frequentemente embalados na unidade de disco padrão que variam de 1,8″ à 3,5″. SSD´s chegam a ser até 6X mais rápidos do que o tradicional HDs em arquivos grandes.

Comparando o antigo HD ao inovador SSD

vantagens do SSD em relação aos HDs, por não possuírem componentes eletromecânicos para a leitura dos arquivos, ele se torna completamente silencioso. Isso também facilita o acesso aos dados, algo primordial para quem precisa de velocidade (ao contrário dos discos rígidos, no qual ‘braço’ mecânico de leitura precisa ir de uma ponta a outra do disco para ler alguma informação, o SSD tem tudo à mão).

Ele também esquenta menos e consome menos energia. Porém, a capacidade de armazenamento é bem menor que a dos HDs usados nos desktops, e seu custo final para o usuário é bem maior.

Você provavelmente utiliza SSD mas não sabe!

Smartphones e tablets estão entre os aparelhos que mais utilizam SSD.  necessitam de uma resposta mais rápida.  (Assista o video abaixo, ele dará uma noção rápida a respeito do comparativo SSD vs HD).

 

Um produto tão bom e inovador exige um custo elevado comparado ao HD.

Para que você tenha uma breve noção, um HD de 320 GB custa em média 200 Reais. Já um SSD de 128 GB, um dos maiores do mercado, custa entre 700 e 900 reais! Chegamos a conclusão que o melhor modo de armazenamento dependerá claramente da usabilidade imposta  pelo comprador do produto.

Qual é a melhor marca para comprar?

Pode parecer fútil, mas nesse caso a marca importa bastante!

Algumas fabricantes como a Kingston, Corsair e Crucial inauguraram as vendas de SSD, e em seguida diversas concorrentes perceberam que o negócio poderia vir a calhar. Esse é o principal motivo para a alta concorrência de outras marcas à preços mais interessantes. Mas o que pergunto a você caro leitor é o seguinte, vale a pena comprar um produto com o valor mais baixo e pouca qualidade? É necessário uma ampla avaliação na hora de adquirir esse componente!

Fazendo uma breve analogia automotiva, você não vai comprar um carro de péssima qualidade e que gaste muita gasolina e manutenção certo? Afinal no final das contas o barato sairá caro!

Dicas do que NÃO FAZER com o SSD


Desfragmentar: Desfragmentar um disco significa realocar arquivos e fazer com que a porção de armazenamento dele seja otimizada — o que resulta em um grande consumo de espaço durante o período da desfragmentação. Ou seja: o processo pode reduzir a vida útil dos equipamentos.

Usar o Windows Vista ou Windows XP: São sistemas operacionais que não possuem suporte para o TRIM. Isso significa que arquivos apagados permanecem disponíveis para a recuperação por meio de aplicativos especializados. Mais do que isso, também existe o fato de que sistemas sem TRIM acabam gerando bastante lentidão após algum tempo de uso.

TRIM: É um comando que é enviado ao SSD e informa as páginas ou blocos que podem ser marcadas como inválidas. Páginas inválidas são aquelas que armazenam arquivos já apagados pelo usuário. Essas páginas inválidas passarão pelo processo chamado de ‘coleta de lixo’, que todo SSD realiza.

Usar toda a capacidade: Essa lição já foi ensinada pelos HDs comuns em outros momentos — quem usa os PCs há mais tempo deve se lembrar do quanto era difícil reservar espaço em computadores que tinham menos de 1 GB para o armazenamento —, mas precisa ser relembrada. É essencial que você nunca preencha toda a capacidade do seu SSD, sempre deixando um espaço de sobra na unidade.

Então é isso caro leitor, se você tem alguma dúvida, crítica ou elogio por favor comente na postagem ou envie um e-mail para murilomuinhos@baudati.com.br ficarei feliz em respondê-lo!

Gostou da postagem? então curta e compartilhe a nossa página no Facebook e Blog, afinal é sempre bom disseminar conhecimento.

Um grande abraço e até a próxima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *